Presidente e coordenador regional da Abraminj participam de evento em Brasília

28 Mar 2017

Por: Liliana Faraco - Comunicação/Abraminj
Foto: Lucca Camps

Na última sexta-feira, dia 24/3, o juiz Renato Rodovalho Scussel, presidente da Associação Brasileira dos Magistrados da Infância e da Juventude - ABRAMINJ e coordenador da Infância e da Juventude do TJDFT – CIJ, e o coordenador regional do estado de Pernambuco, desembargador Luiz Carlos Barros Figueirêdo (TJPE), participaram do III Seminário Aconchego Convivência Familiar e Comunitária, que aconteceu em Brasília. Organizado pelo Grupo de Apoio à Convivência Familiar e Comunitária – Aconchego, o evento teve por objeto abordar as ações e perspectivas para a construção de novos vínculos afetivos para crianças e adolescentes, a partir da preparação de famílias para adoção e do apadrinhamento afetivo.

O assessor técnico da Vara da Infância e da Juventude do Distrito Federal, Eustáquio Coutinho, bem como outros servidores da Vara e da Comissão Distrital Judiciária de Adoção – CDJA também participaram do evento. Além de Scussel, fizeram parte da mesa de abertura Soraya Pereira, presidente do Grupo Aconchego; Aline Ferreira, coordenadora técnica da entidade de acolhimento Lar de São José; Emilsom Ferreira Fonseca, presidente do Conselho do Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente do Distrito Federal – FDCA/DF; e Fabiana Gadêlha, diretora de Políticas Temáticas da Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente do Ministério dos Direitos Humanos.

Em sua fala, o juiz agradeceu a parceria: “O evento é rico e exitoso para todos nós, pois o Aconchego trará os resultados concretos de suas ações. Que possamos permanecer caminhando lado a lado”. A presidente da entidade, Soraya Ferreira, expressou gratidão à equipe e a todos os que acreditaram no trabalho e ainda realçou a importância do Grupo Aconchego nesses 20 anos de existência atuando em prol do contexto de direitos das crianças e adolescentes.

Em seguida, a psicóloga Maria da Penha Oliveira Silva apresentou as metas do projeto “Novos Vínculos Afetivos para Crianças e Adolescentes – Desafios e possibilidades nos processos de adoção e de apadrinhamento afetivo”, coordenado por ela. O projeto foi selecionado pelo FDCA, por meio de edital, sob a execução do Grupo Aconchego. O projeto iniciou em 2016 e finalizará em 10 de abril deste ano. O seu objetivo é realizar a preparação continuada de pretendentes e interessados em adoção de crianças e adolescentes e de candidatos a apadrinhamento afetivo, com vistas a garantir a convivência familiar e comunitária de meninos e meninas que vivem em instituições de acolhimento. Os resultados do projeto foram explanados pela psicóloga Ana Carla Domingues de Araújo e pela assistente social Marilza Barboza.

O seminário contou com a palestra do coordenador da Infância e da Juventude do TJPE, desembargador Luiz Carlos de Barros Figueirêdo, intitulada “O Olhar do Judiciário e os Trabalhos de Preparação para Adoção e para o Apadrinhamento Afetivo”. A programação incluiu a exibição do documentário “Laços de Afeto”, que conta a história de vida de dois jovens que saem da situação de acolhimento institucional provisório para a construção de laços de afeto em duas perspectivas: a adoção e o apadrinhamento afetivo.

Ao final do evento, foram lançadas três cartilhas: Encontros sobre Adoção: Transformando o tempo de espera em tempo de preparação; Apadrinhamento Afetivo: Um encontro de afeto e amizade, para padrinhos e madrinhas; e Apadrinhamento Afetivo: Um encontro de afeto e amizade, para crianças e adolescentes.

Aconchego 2