TJAP: Adolescentes serão capacitados para cuidar do Parque Zoobotânico através de parceria entre o Judiciário e a Prefeitura de Macapá

05 Mai 2017

Por: Assessoria de Comunicação Social - TJAP
Foto: TJAP

O plenário do Fórum Leal de Mira em Macapá foi o palco escolhido para o lançamento do projeto “Um Parque em Meu Caminho: Atitude e Aprendizagem”, fruto de cooperação técnica entre o Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP) e a Prefeitura Municipal de Macapá (PMM). A finalidade é oferecer aos adolescentes, que cumprem medidas socioeducativas, ações de educação ambiental, aprendizagem, qualificação profissional e oportunidades de trabalho na Fundação Parque Zoobotânico de Macapá. 

O projeto terá a duração de um ano e vai preparar cerca de 180 adolescentes, que serão acompanhados por técnicos do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), órgão vinculado à Prefeitura de Macapá, e posteriormente encaminhados ao Parque. O período dedicado à capacitação contará como tempo de prestação da medida socioeducativa a que cada um foi submetido. Os adolescentes também receberão certificados.

Durante a execução do projeto os jovens serão treinados por monitores e guardas do Parque, para dar orientações aos visitantes, atuando como guias e prestando informações sobre a fauna e a flora existentes no logradouro. Também participarão de cursos para o uso do GPS, métodos de medição e de inventário e, ainda, curso de guarda-parque mirim.

Na parceria cabe ao Judiciário garantir os recursos para a execução do projeto orçado em R$ 177.800,00 (cento e setenta e sete mil e oitocentos reais) para aquisição de camisas, calças e equipamentos de proteção individual para uso durante a execução das tarefas socioeducativas.

O juiz Luciano Assis, titular do Juizado da Infância e Juventude de Macapá – Área de Políticas Públicas, disse que a intenção é oportunizar aos socioeducandos as ferramentas necessárias para que possam desempenhar tarefas de cunho educativo e eficaz.

“Esse projeto nasceu de um consórcio de boas intenções entre o Tribunal de justiça e a Prefeitura de Macapá e tem como propósito criar outra opção, ou seja, dar a esses menores que cumprem medidas no meio aberto, seja prestando serviço à comunidade ou mesmo com a liberdade assistida, uma nova chance e o que é melhor, dar vida ao nosso Parque Zoobotânico”, explicou o juiz.

As primeiras turmas receberão capacitação já nos meses de maio, junho e julho de 2017, no auditório da Guarda Municipal de Macapá. Os participantes terão oficinas de sensibilização divididas em duas turmas: uma às terças e quintas e outra às segundas e quartas.

O prefeito de Macapá Clécio Luis, que também participou do lançamento, destacou que o projeto é uma demonstração de que as parcerias institucionais podem convergir para o mesmo interesse. “A somatória de um mais um sempre é mais que dois. Nós estamos ansiosos para reabrir o nosso Parque Zoobotânico ainda este ano e já com esses jovens capacitados. Nós temos duas gerações de crianças e jovens que foram impedidos de conhecer o parque porque está fechado há quase duas décadas e precisamos mudar essa realidade”, finalizou o prefeito.