Curso de capacitação reúne Conselheiros Tutelares de três Estados

07 Jul 2017

Por: TJSE

Teve início na tarde de ontem, 05/07, no Fórum Gumersindo Bessa, em Aracaju, o ‘III Curso de Capacitação Conselheiro Tutelar 2017 – ECA: 27 anos em prol da cidadania e proteção integral dos direitos humanos de crianças e adolescentes’. O evento foi destinado, incialmente, para profissionais de 21 municípios sergipanos que ainda não tinham sido contemplados nas edições anteriores, mas acabou atraindo o interesse de Conselheiros Tutelares de Maceió (AL), Itapicuru e Paripiranga (BA). As aulas continuam até o próximo dia 31.

O curso foi aberto pela Orquestra Jovem do Sesc. “Uma apresentação emocionante, que nos encheu de alegria e nos faz acreditar que esse país tem jeito”, elogiou o Presidente do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE), Desembargador Cezário Siqueira Neto. “Os Conselheiros Tutelares são efetivamente os que se defrontam com os grandes problemas das crianças e adolescentes. Todo o esforço para materializar o curso é, muitas vezes, algo ignorado pela sociedade. Mas devemos continuar trabalhando em parceria para que os Conselheiros possam se aprimorar”, completou.

A capacitação foi uma iniciativa da Faculdade de Administração e Negócios de Sergipe (Fanese), sob a coordenação da Professora Mestre Antonina Gallotti Leão, com o apoio do TJSE, através da Coordenadoria da Infância e Juventude (CIJ), e do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente. “Um dos papéis da instituição é a prática da extensão universitária, que também é responsabilidade social”, ressaltou Ionaldo Vieira Carvalho, diretor geral da Fanese.

A Juíza Iracy Mangueira, responsável pela CIJ, lembrou que a composição dos Conselhos Tutelares é renovada a cada quatro anos. “Para chegar ao cargo, os Conselheiros passam por uma eleição. A intenção do Tribunal de Justiça e do nosso parceiro, a Fanese, é ministrar conteúdos que venham facilitar o trabalho do Conselheiro no dia a dia junto à comunidade”, informou a magistrada.

Segundo a professora Antonina Leão, o curso visa abordar aspectos da rotina dos Conselheiros Tutelares, como uso de álcool, drogas, abuso sexual e a interface do trabalho com Juízes, Promotores e Delegados. “Temos no curso uma equipe multidisciplinar dos principais atores que fazem parte do sistema de garantias”, explicou a professora, lembrando que o curso tem 40 horas. Nos dois primeiros anos, foram capacitados conselheiros de 54 municípios sergipanos.

Nesta edição, o curso foi destinado a Conselheiros Tutelares de Aracaju (pela segunda vez), Arauá, Areia Branca, Boquim, Cristinápolis, Estância, Indiaroba, Itabaianinha, Itaporanga, Lagarto, Malhador, Moita Bonita, Pedrinhas, Poço Verde, Riachão do Dantas, Salgado, Santa Luzia do Itanhy, Tobias Barreto, Tomar do Geru e Umbaúba. “Para nossa surpresa, temos hoje 32 municípios presentes e ainda Conselheiros de mais dois Estados. Ao todo, são cerca de 180 inscritos”, enumerou a professora.

Uma das participantes veio justamente da Bahia. “Soubemos do curso através de Conselheiros de Tobias Barreto, com quem trabalhamos em parceria. Nossa expectativa é adquirir mais conhecimento e fortalecer nosso trabalho”, disse Andréa Quintanilha, Conselheira Tutelar de Itapicuru. Já o Presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Umbaúba (SE), Jackson dos Santos, lembrou que o mundo enfrenta problemas relacionados ao trabalho infantil e abuso sexual. “Esse curso vai contribuir para que cada Conselheiro tome suas atitudes contra isso”.

Programação

A palestra de abertura, ‘A interface do Conselho Tutelar com a rede de proteção’, foi proferida pelo Juiz Haroldo Luiz Rigo da Silva, secretário-geral da Associação Brasileira dos Magistrados da Infância e da Juventude (Abraminj). “O curso permite uma articulação adequada da rede. Os conselheiros de municípios onde trabalhei são pessoas abnegadas. Mas o que é necessário é a formação e articulação de rede para que cada vez essa atividade seja feita com maior qualidade técnica”, opinou.

O curso prossegue na segunda-feira, 10/07, às 14 horas, no mesmo local, com palestra da Juíza Rosa Geane Nascimento, da 16ª Vara Cível de Aracaju, sobre ‘O Poder Judiciário e a atuação do Conselheiro Tutelar'. Encerrando as atividades do segundo dia de curso, a professora Antonina Leão falará sobre ‘Marco legal da primeira infância’. As aulas continuam nos dias 12, 17, 19, 24, 26 e 31 de julho, no auditório do Bessa.

Clique aqui e confira a programação completa.