Câmara dos Deputados debate gravidez na adolescência

09 Dez 2017

Por: Portal Câmara dos Deputados
Foto: Gilmar Félix/Câmara dos Deputados

A Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher promove audiência pública no dia dia 12 sobre gravidez na adolescência.

Autora do requerimento para o debate, a deputada Érika Kokay (PT-DF) destacou que o Brasil tem um índice de 65 gestações para cada mil meninas de 15 a 19 anos, segundo dados do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA). De acordo com a agência da ONU, um em cada cinco bebês que nascem no Brasil é filho de mãe  adolescente.

 “Entre essas meninas, de cada cinco, três não trabalham nem estudam; sete em cada dez são afrodescendentes e aproximadamente a metade mora na região Nordeste”, alertou a deputada, que também citou estudos que relacionam a gravidez precoce à menor saúde física e mental na vida adulta.

“Diversas pesquisas concluíram que a gravidez adolescente provoca desvantagens para meninas de baixo status socioeconômico, mas na maioria dos países em desenvolvimento, as mulheres mais pobres têm menos opção de planejamento reprodutivo, menos acesso a atendimento pré-natal e são mais propensas a terem partos sem a assistência de um profissional de saúde”, lamentou Kokay.

Foram convidadas para a audiência pública:

- a representante do UNFPA no Brasil, responsável pela área de Direitos Sexuais e Reprodutivos, Fernanda Lopes;

- diretora-Substituta do Departamento de Ações Programáticas Estratégicas (DAPES), do Ministério da Saúde, Thereza De Lamare;

- coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas Sobre a Mulher (NEPEM)/UnB), Lourdes Maria Bandeira;

- secretária de Assuntos e Políticas para Mulheres Educadoras do SINPRO-DF, Vilmara Pereira do Carmo;

- a representante do Centro Feminista de Estudos e Assessoria (CFEMEA), Natalia Mori