Crianças da Síria: Brasileiros podem ajudar

07 Mar 2018

Por: Unicef Brasil
Foto: Unicef

Em decorrência da grave situação em Ghouta – nos arredores de Damasco – e em outras regiões da Síria, o UNICEF apela aos brasileiros para que apoiem a sua operação de emergência no país. “Por tantas vezes, o mundo tem fracassado com as crianças da Síria”, declarou na semana passada Geert Cappelaere, diretor regional do UNICEF para o Oriente Médio e Norte da África. “Os últimos dois meses foram alguns dos mais sangrentos do conflito. Mais de mil crianças foram mortas ou seriamente feridas desde o começo do ano”, explicou Cappelaere.

O UNICEF e seus parceiros são das poucas organizações que ainda estão trabalhando no país, que vive um conflito devastador. Os brasileiros podem apoiar o trabalho do Fundo doando pelo site www.doeunicef.org.br.

A organização está trabalhando dia e noite na Síria e nos países vizinhos e já conta com comboios preparados e carregados com suprimentos fundamentais prontos para ser entregues nas zonas de conflito. Os materiais incluem medicamentos, suplementos nutricionais para enfretamento da desnutrição, kits para partos, agasalhos e produtos de higiene.

Os suprimentos serão destinados às áreas de mais difícil acesso – algumas delas há meses sem assistência – como Afrin, Idlib, Ghouta, Dera’a e outras áreas sitiadas.

Depois de quase sete anos de conflito, a situação de meninos e meninas sírios só vem se agravando. Cerca de 2 milhões deles estão vivendo em áreas sitiadas, onde faltam condições básicas para sobreviver, incluindo alimentos e água potável. Outros 2,6 milhões conseguiram escapar e vivem em campos de refugiados na Turquia, no Líbano, na Jordânia, no Iraque e no Egito.

O UNICEF já atuava na Síria antes mesmo de o conflito eclodir. Para poder dar assistência humanitária às crianças vivendo nas áreas sitiadas, o UNICEF – mais uma vez – pede o cessar-fogo e o fim da violência.

Além disso, o UNICEF segue trabalhando para garantir os direitos de outros 5,3 milhões de crianças. Por todo o país, a organização está levando vacinas, água potável, kits educacionais, reconstruindo escolas, oferecendo apoio psicossocial, entre outras ações.