TJPB inicia Campanha de Adoção ‘Não resista ao amor. Adote’

25 Mar 2018

Por: TJPB
Foto: TJPB

O Tribunal de Justiça da Paraíba inicia, neste sábado (24), a Campanha de Adoção “Não resista ao amor. Adote”,  com apoio da Rede Paraíba de Comunicação. A proposta é sensibilizar as pessoas sobre a situação de crianças e adolescentes que se encontram nas casas de acolhimento a espera de uma família, e de amor. É despertar a possibilidade de adotar, mesmo para aquela família que já tenha filhos biológicos. É mostrar, também, que muitos podem ser padrinhos, sejam financeiros, sociais ou afetivos.

Para o coordenador da Infância e Juventude do Tribunal de Justiça da Paraíba, juiz Adhailton Lacet, o tema merece ampla visibilidade. “A campanha sobre adoção é de suma importância, porque visa sensibilizar e orientar à população sobre essa temática tão bonita, que é o instituto da adoção. Parabéns ao Tribunal de Justiça e a todos os envolvidos nesta divulgação”, ressaltou.

Juridicamente, o ato de adotar é assumir, como filho, o indivíduo que foi biologicamente concebido e gerado por outra pessoa. Mas é, também, um laço de amor que motiva um processo de gestação fora do corpo de quem adota. Uma espera necessária para manter a segurança das crianças e adolescentes. Quando um pretendente desperta interesse em adotar, deve procurar a Vara da Infância e Juventude da sua comarca.

Na Paraíba, existem 63 crianças e adolescentes cadastrados, sem impedimento legal para serem adotados. O número corresponde a 0,74% do total nacional. Entre eles, 27 já estão em processo de adoção, sob a guarda de alguma família, e os outros 36 estão aptos a serem adotados pelos 562 pretendentes cadastrados no Estado.

Aqueles que desejarem ser padrinhos podem procurar o Núcleo de Apadrinhamento Infantojuvenil (Napsi), instalado no Fórum da Infância e Juventude da Capital, localizado na Avenida Rio Grande do Sul, nº 956, Bairro dos Estados, em João Pessoa. Esclarecimentos pelo telefone: (83) 3222-6156.

Para tirar dúvidas sobre Adoção, o Tribunal de Justiça da Paraíba, por meio da Coordenadoria da Infância e Juventude, elaborou a ‘Cartilha Passo a Passo’, que aborda o tema com todas as suas especificidades. Ela pode ser acessada na página principal do site do TJPB (www.tjpb.jus.br).

Padrinhos 

Existem três modalidades de apadrinhamento: financeiro, social e afetivo. O primeiro visa oferecer um suporte financeiro para a criança ou adolescente, doando ou arcando com os custos de roupas, materiais escolares, brinquedos, cursos, entre outros. Já o padrinho social poderá prestar um serviço para a criança, ou grupo de crianças e adolescentes. Um professor, por exemplo, poderá ofertar aulas; um médico pode disponibilizar horário para realizar atendimentos no local.

A terceira modalidade, afetiva, objetiva estabelecer um maior contato com a criança ou adolescente, focando na convivência. Nessa modalidade, o padrinho ou madrinha poderá buscar a criança ou adolescente nos finais de semana. Todas as formas de apadrinhamento podem ser consideradas uma adoção temporária.

Contatos 

Os interessados em adotar, ou tirar dúvidas sobre o assunto, podem entrar em contato com as seguintes unidades: Comissão Estadual Judiciária de Adoção (CEJA), telefone (83)3252-1607; Coordenadoria da Infância e Juventude do TJPB, telefone (83)3216-1508; Juizado da Infância e Juventude de João Pessoa (falar com o Setor de Adoção), telefone (83) 3222-6156; ou procurar a Vara da Infância e Juventude de sua Comarca.

Rede Paraíba de Comunicação 

O grupo abrange a TV Cabo Branco, TV Paraíba (afiliadas da Globo), G1 Paraíba e GloboEsporte.com Paraíba. A Rede Paraíba de Comunicação é composta, também, pelo Jornal da Paraíba e pelas rádios Cabo Branco FM e CBN João Pessoa e Campina Grande.