TJAM lança “Projeto Encontrar Alguém” de incentivo à adoção tardia

04 Jul 2018

Por: TJAM
Foto: TJAM

Idealizado pela Coordenadoria da Infância e Juventude (COIJ), o projeto tem como ênfase crianças e adolescentes de difícil colocação em família substituta para fins de adoção.

 

O presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), desembargador Flávio Pascarelli, lançou nesta terça-feira (3) o Projeto Encontrar Alguém, de incentivo à adoção tardia. Inspirado em iniciativas similares que vêm sendo adotadas com êxito por outros tribunais do País, o projeto está sendo implantado pela Coordenadoria da Infância e Juventude (COIJ) e tem o objetivo de dar visibilidade a crianças e adolescentes que vivem em unidades de acolhimento e que, por características como idade e condições de saúde, são consideradas de difícil colocação em família substituta para fins de adoção.

A solenidade de lançamento aconteceu no Plenário Des. Ataliba David Antonio, na sede do TJAM, com a presença de magistrados, da coordenadora da Infância e da Juventude do TJAM, juíza Rebeca de Mendonça Lima; da jornalista Celes Borges,  presidente da Fundação Televisão e Rádio Cultura do Amazonas (Funtec) – instituição parceira da COIJ nesta fase de lançamento do projeto –; representantes das unidades de acolhimento de crianças e adolescentes, dentre outros convidados.

“Fico imensamente feliz de lançar este projeto e espero que ele dê excelentes resultados, que consiga sensibilizar a sociedade e ampliar as chances de adoção dessas crianças e adolescentes que por uma série de características, como é o caso da idade, não têm tido a oportunidade de encontrar uma nova família. É extremamente louvável a iniciativa da Coordenadoria da Infância e da Juventude, sob o comando da juíza Rebeca de Mendonça Lima, de adotar essa estratégia que vem se somar a outras ações voltadas para esse público”, afirmou o desembargador Flávio Pascarelli que nesta terça-feira cumpriu o último dia de sua gestão como presidente do TJAM.

A implantação do “Encontrar Alguém” foi aprovada pelo Pleno do TJAM em sessão realizada no dia 16 de maio deste ano. A iniciativa, que prevê a divulgação – de forma responsável, padronizada e acompanhada pelo Sistema de Justiça –, de informações sobre as crianças que têm o perfil do projeto, tem o apoio do Conselho Nacional de Justiça e de entidades como o Colégio de Coordenadores da Infância e Juventude do Tribunais de Justiça do Brasil (Coinj) e do Grupo Nacional de Direitos Humanos.

A juíza Rebeca de Mendonça Lima explica que, por meio de parcerias institucionais, a COIJ realizará campanhas com o tema “Encontrar Alguém”, em que as próprias crianças serão protagonistas e falarão de seu desejo de encontrar uma nova família. Com o apoio da TV Cultura do Amazonas a primeira campanha do projeto já está pronta e traz, em quatro vídeos de cerca de um minuto, as histórias de Camila, de 18 anos; dos irmãos Maria Ester, 8 anos e Adriel, 10 anos; Mateus, 14 anos; e dos irmãos Nivea, de 7 anos e João Pedro, 13 anos. Os vídeos poderão ser acessados, inicialmente, no canal do TJAM no Youtube, nas redes sociais da instituição e, a seguir, na página da COIJ no Portal do TJAM. Posteriormente, o projeto ampliará a divulgação, levando os vídeos a salas de cinema, ao intervalo de shows, dentre outros espaços.

A coordenadora da Infância e da Juventude frisa que o Encontrar Alguém busca ampliar suas chances de adoção de crianças e adolescentes que já foram destituídos do poder familiar, vivem acolhidos e se enquadram num perfil considerado de difícil colocação em família substituta, seja em virtude da idade ou de condições especiais de saúde. Conforme os dados da COIJ, atualmente, 198 crianças e adolescentes estão nas 10 unidades acolhedoras de Manaus, 42 delas aptas à adoção, pois todas as possibilidades de retorno à família biológica já se esgotaram, com a respectiva destituição do pátrio poder e, nesse grupo, 37 têm o perfil do projeto.

“Nós temos entre essas crianças, por exemplo, um grupo de seis irmãos, a mais velha com 17 anos e o mais novo com dois anos, e que são de difícil colocação em família substituta em razão do número. Nossa intenção é sensibilizar as pessoas para casos como o desses irmãos, que estão nos abrigos. É uma tentativa de que as pessoas interessadas em adotar, olhem também para esse perfil e não apenas para aquele perfil clássico que prevalece não apenas no Amazonas, mas em todo o País, que é a busca por adoção de crianças até dois anos de idade”, disse a juíza Rebeca.

Roseane Silva de Menezes, Assistente Social do Lar Batista Janell Doyle – uma das 10 unidades de acolhimento de Manaus e instituição parceira do Encontrar Alguém – participou da solenidade de lançamento do projeto na manhã desta terça-feira. “Hoje é uma data muito importante para os abrigos que trabalham com crianças e adolescentes em Manaus. Esse projeto vem atender uma demanda comum a quase todas essas instituições que é a longa permanência de crianças para as quais não conseguimos, junto aos cadastros de habilitados para adoção, alguém que aceite o seu perfil. Então, o projeto abre mais uma possibilidade de ampliar as chances de adoção dessas crianças e, principalmente, aquelas que já chegaram à adolescência. Temos uma expectativa muito boa em relação aos resultados do projeto”, disse Roseane.