AMB lança projeto que estimula adoção tardia

15 Ago 2018

Por: AMB
Foto: Abraminj

Em cerimônia no Salão Nobre da Câmara dos Deputados, nesta terça-feira (14), a AMB lançou o projeto “O Ideal é Real – adoções necessárias”. O objetivo da iniciativa – que conta com o apoio do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), da Câmara dos Deputados e dos Ministérios do Desenvolvimento Social e dos Direitos Humanos – é ampliar a adoção de crianças a partir dos oito anos, adolescentes, grupos de irmãos ou mesmo de crianças com problemas de saúde. A ação também tem o apoio do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) e da Comissão de Assuntos da Criança, do Adolescente e do Idoso da Assembleia Legislativa do Estado. A Associação Brasileira dos Magistrados da Infância e da Juventude (Abraminj), esteve presente no evento com a participação do Assessor da Presidência para Assuntos Legislativos, Dr. Renato Rodovalho Scussel. 

Ao expandir essa iniciativa, lançada pela Associação dos Magistrados do Estado do Rio de Janeiro (Amaerj) em janeiro de 2017, a AMB visa dar dimensão nacional a esse importante projeto que pretende mudar o perfil da adoção no Brasil.

O presidente da entidade, Jayme de Oliveira, relatou que muitos se espantam com o fato de que há mais interessados em adotar do que crianças a serem adotadas e que o juiz Sérgio Ribeiro, integrante da Associação e idealizador do projeto, identificou o problema e desenvolveu a iniciativa para conseguir mudar essa realidade. “Tenho dito reiteradamente que temos que começar a construir a democracia fraterna. E exemplo disso são iniciativas como essa, juntando Direito e fraternidade. E isso que a AMB está tentando fazer e trabalhar”, disse. Segundo o dirigente, a Associação e a Magistratura brasileira têm inúmeros projetos maravilhosos.

Para a vice-presidente Institucional da AMB e presidente da Amaerj, Renata Gil, é um “dia de muita alegria para nós que vivenciamos a semente desse projeto: o sonho do Sérgio em chamar a atenção da sociedade para a questão das adoções. Hoje, trouxemos esse projeto para lançar aqui, em Brasília, na Câmara dos Deputados, em uma demonstração de que há um envolvimento institucional das várias entidades que podem fazer diferença nessa área”.

“Essa causa é grande. Que sejamos instrumento da paz, de união e de amor. A Amaerj e a AMB estão aqui para isso. O Jayme, que é um homem muito sensível, luta pelas causas humanitárias, e estaremos sempre à disposição para fortalecer esse vínculo entre sociedade e instituições, entre família e instituições”, concluiu Renata Gil.

O idealizador do projeto, Sérgio Ribeiro, secretário-adjunto de Infância e Juventude da AMB e membro da Diretoria de Direitos Humanos e Proteção Integral da Amaerj, comemorou o lançamento nacional e considerou que o apoio das duas associações é extremamente importante. O magistrado, que é juiz titular da 4ª Vara de Infância, da Juventude e do Idoso do Rio de Janeiro, explicou que a ideia surgiu após verificar no Cadastro Nacional de Adoção de que havia mais pessoas aptas a adotar do que crianças e adolescentes para adoção. “Nos números de hoje, temos 41,48 mil habilitados para adotar e 4.913 crianças e adolescentes aptas à adoção. Se nós temos cerca de cinco a seis vezes o número de habilitados de adoção, porque a conta não fecha? E isso causa perplexidade, pois os quase cinco mil infantes que estão nas instituições de acolhimento sem ninguém querer adotar são os grupos de adoção necessárias”, informou. De acordo com Sérgio Ribeiro, se 12% dos habilitados mudassem o perfil já seria possível resolver a questão dos grupos de adoção necessário.

O magistrado aproveitou a ocasião para alertar que muito preocupa projetos de lei em tramitação na Casa que dizem querer ajudar a resolver a questão da adoção no Brasil, “mas não vão, porque não tocam nessa questão das adoções necessárias”.

A secretária de Infância e Juventude da AMB, Valéria Rodrigues, destacou que “o projeto da magnitude do nosso colega Sérgio não podia ficar restrito só ao estado do Rio de Janeiro, ele teria que ser abraçado pelo Brasil inteiro. E esse é o propósito hoje da AMB de lançar essa campanha a nível nacional”.

Apoio parlamentar

Presente ao evento, o deputado federal Fábio Ramalho (PMDB-MG), primeiro vice-presidente da Câmara dos Deputados, representando o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que “o grupo de adoção necessária, assim como todas as outras crianças, também merece um lar. Creio que a extensão desse projeto para o território nacional vai trazer mais alegria e amor para as famílias brasileiras”.

Por sua vez, o deputado Alan Rick (DEM-AC), presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Vida e da Família, ressaltou a importância da nova Lei de Adoção no Brasil. “A lei incentiva a doação de grupos de família e quer buscar essa interação de pais e filhos. Hoje, demos um passo fundamental para trazer o ideal é o real.”

Símbolo do projeto

Presentes ao lançamento, e citados como exemplo a ser seguido por todos que discursaram, estavam o casal Thiago de Paiva e Luciana Vilella, pais da menina Alice, escolhida como símbolo do projeto. Ela nasceu com microcefalia, paralisia cerebral e epilepsia, e foi adotada por eles em fevereiro de 2017.

Thiago de Paiva explicou que ele e a esposa mudaram de perfil por causa do contato direto. “Com o lançamento nacional, a gente espera que a campanha consiga alcançar o maior número de casais habilitados, para que possam abrir o coração e olhar para crianças com o perfil um pouco diferente do que foi planejado. A nossa vinda, nosso apoio ao projeto, é na esperança de que a nossa experiência aconteça no Brasil inteiro, com o máximo de pessoas”, disse.

A mãe de Alice complementou dizendo que ” como diz o slogan ‘o ideal é real’. Não é o que sonhamos, nem o que imaginamos, que não existe. Nem quando vem um filho da própria barriga, é o que a gente idealiza. “A gente fica idealizando uma criança, e quando a gente vê, é o que tem, o que está esperando uma família. E foi essa a conclusão que chegamos, que a gente precisava de um filho e ela precisava de uma família. A gente não pensou em nada, só nela.”

Presenças

Da AMB, ainda estavam presentes a diretora Maria Rita Manzarra; Leonardo Trigueiro, da Secretaria de Assuntos Legislativos da AMB; e Erika Brandão, da Secretaria de Assuntos Institucionais da AMB e representante da Associação Paulista de Magistrados (Apamagis). Também compareceram ao evento a coordenadora do Prêmio Innovare, Raquel Khichfy; as consultoras da Unesco Isabelle Albuquerque e Karolina Dutra; entre outros.

 

Confira aqui a reportagem feita pela emissora Globo.