Justiça Restaurativa: SC debate usar método com adolescentes infratores

03 Set 2018

Por: CNJ
Foto: CNJ

A desembargadora Rosane Portella Wolff, coordenadora estadual da Infância e Juventude (CEIJ) do Tribunal de Justiça, reuniu-se nesta semana com o secretário estadual da Justiça e Cidadania (SJC-SC), Leandro Lima, e com o diretor do Departamento de Administração Socioeducativo (Dease-SC), Zeno Tressoldi, para discutir a criação do Núcleo de Justiça Restaurativa do Sistema Socioeducativo Catarinense. "Estamos nos colocando a disposição para trabalhar em parceria", disse a desembargadora.

"A proposta é excelente e a ideia é ampliar esta conversa inicial para avançar em um trabalho conjunto", registrou o secretário Leandro. Outra proposta debatida durante a reunião, realizada na Secretaria da Justiça e Cidadania na tarde da última terça-feira (28/08), foi a parceria da Coordenadoria da Infância na concretização do segundo módulo da Formação Inicial em Justiça Restaurativa, voltada para servidores do sistema socioeducativo de Chapecó e região, programado para ser realizado no mês de dezembro naquela cidade.


Neste projeto, o Dease conta ainda com o apoio do Ministério Público (MP-SC), o qual cede uma servidora como docente colaboradora da formação. Desde 2017, o Dease mantém parceria com o Tribunal de Justiça (TJ-SC) em um projeto de formação de servidores para atuação como multiplicadores da Justiça Restaurativa. "O Departamento vêm investindo neste projeto, já realizamos algumas ações no próprio Departamento Socioeducativo e nas unidades de São José, Florianópolis, Lages e Chapecó, com o objetivo de transformar e humanizar cada vez mais o atendimento aos adolescentes em medida socioeducativa", concluiu Tressoldi.